sábado, 29 de novembro de 2014

Pequenos escritores a pensar no Natal

Que pequeninos maravilhosos! 
A turma do 2º ano já escreveu as cartas ao Pai Natal. Ora vejam!
Clique na imagem para ampliar.














Barcos Vikings II - Construções em família

ATENÇÃO:
Eis algumas das "obras primas" construídas em família que serão usadas para uma futura exposição. A criatividade está ao rubro nestas construções. Todos os materiais são reciclados.
Muito obrigada pela colaboração!















Barcos Vikings - Pequena História


Os vikings tornaram -se famosos por seus barcos. O barco longo com o qual eles são normalmente associados, não foi o único tipo de embarcação que os escandinavos construíram. Eles fizeram navios mercantes e embarcações de carga também. Entretanto, todos os seus desenhos têm várias características comuns:


. Construção com madeira rebitada;
. Quilha (a peça de madeira na parte inferior de um barco que ajuda a impedir que ele vire);
. Mastro único com uma vela quadrada de lã;
. Casco de duas faces (a proa e a popa tinham o mesmo formato, assim o navio podia se mover em ambos os sentidos sem fazer a curva);
. Timão lateral.



Os navios de guerra vikings geralmente
ostentavam medonhas esculturas
de dragão na proa e na popa.



Os cascos eram recobertos com pele de animal alcatroada, o que permitia vedação contra a água. No total, um típico navio de longo curso de 21 metros teria exigido 11 árvores para ser construído, cada uma com um metro de diâmetro, além de mais uma árvore para fazer a quilha. 

Os navios de guerra eram mais estreitos e tinham mais remos para aumentar a velocidade. Os remadores não tinham assentos especiais - simplesmente sentavam nas vigas mestras que formavam o vigamento interno do barco ou em baús que continham seus pertences. Os furos para os remos podiam ser cobertos de discos de madeira e os navios de guerra tinham suportes onde os escudos vikings podiam ser enfileirados, proporcionando proteção adicional contra ataques.

A vela quadrada viking podia ter até 100 m2 de lã de espessura dupla, geralmente tingida de vermelho ou com listras vermelhas para impor medo em seus inimigos. Os vikings também usavam âncoras de metal e dispositivos de navegação primitivos
http://povoviking.blogspot.pt/2010/09/armas-e-navios-vikings.html

Palestra: "Trajes do Grupo de Folclore do Porto Santo"

Fundado em 1963, estreou-se a 21 de novembro do mesmo ano. Tem como principal objetivo divulgar a
cultura porto-santense, através das suas danças e cantares. Os seus trajes remontam ao séc. XVIII e princípios do séc. XIX, onde predominam as cores sóbrias, representadas através do linho da terra, estoupa, lã, cambraias e a siriguilha. Da sua orquestra, fazem parte o violino, o rajão, e a viola de arame, instrumento característico da ilha.
http://portosantoverde.wordpress.com/porto-santo/cultura/
Os alunos do 3º ano tiveram uma palestra, orientada pelo Senhor Duarte, subordinada ao tema "Trajes do Porto Santo".

Pequenos leitores na Biblioteca Municipal

As turmas do 1º ano e do 2º ano, visitaram a Biblioteca Municipal do Porto Santo acompanhados da Professora Marta Neto. A história que a Dr. Lucília (coordenadora da biblioteca), contou foi "O Sapo e o Vasto Mundo".
Que divertido! É tão bom manusear os livros!





Lendas...

         Amanda - 3º ano

                                                                         Clara - 3º ano     

Acrósticos nas cores de outono

Acróstico é um género de composição geralmente poética, que consiste em formar uma palavra vertical com as letras iniciais ou finais de cada verso gerando um nome próprio ou uma sequência significativa.
http://www.infoescola.com/literatura/acrostico/
Amanda- 3º ano

Leonor Andrade- 3º ano


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Barcos Vikings I - Após visionamento do filme "Como treinares um dragão?"

Alguns desenhos elaborados pelos alunos com a ajuda dos pais após visionamento do filme, pertencente ao Programa Educamedia sob o tema confiança, "Como treinares um dragão?".
Estes desenhos irão participar numa exposição, juntamente com os barcos feitos em três dimensões (com material reciclado).
Obrigada aos pais pela dedicação e colaboração com a escola.



video

domingo, 23 de novembro de 2014

Pequenos escritores nas cores de outono IV

Se eu fosse uma árvore


Se eu fosse uma árvore gostava de ser bonita e média.
Eu queria que chegasse a primavera porque assim tinha muitas folhas verdes, grandes, pequenas e lindas.
O vento apareceu e disse-me:
- Eu vou tirar-te essas folhas todas.
- Não vais não porque eu aguento contigo. – respondi-lhe com vontade.
- Ai sim, agora vou lançar o meu vento poderoso, agora vê se consegues aguentar.
- Ah não! Tu tiraste-me as folhas quase todas.
- Até logo meu inimigo! - retorquiu o vento maldosamente.
Eu fiquei muito triste, vou ficar tão feia e despida até acabar o inverno. O melhor é não desanimar e dar tempo ao tempo.
O vento apareceu no último dia de inverno e disse-me:
- Voltei meu inimigo e agora vou tirar-te as folhas todinhas dos teus raminhos.
- Estás muito enganado vento. - respondi cheio de coragem.
- Porque é que estou enganado?
- Sabes porquê? Porque hoje é o último dia de inverno. Devias ter vindo mais cedo. A próxima estação entra amanhã e com ela as folhas e as flores. Quem ri por último ri melhor! - gargalhei ruidosamente.
- Seu tramado, por tua causa eu vou desaparecer até o primeiro dia de outono.
E assim a árvore ficou contente.

Nuno Filipe 4º ano

sábado, 22 de novembro de 2014

Pré-Escolar recebe uma visita surpresa!

Será que o Pai Natal anda a ver se os meninos se portam bem? De certeza! Ele está a preparar muitas surpresas para o Natal que se aproxima e por isso veio avisar os meninos para que não se esqueçam da carta que eles devem escrever e colocar nos correios.
Aguardemos!

Depois do filme "Como treinares o teu Dragão?"

Hiccup, o jovem Viking, confiava no seu dragão. 

O que significa confiar em alguém?

" Confiar significa acreditar na pessoa que gostamos."
Nuno 4º ano

" Confiar é contar um segredo a um amigo e saber que esse segredo está bem guardado."
Diana 4º ano

"Confiar num amigo é muito importante, assim sei que estou protegida."
Carla 4º ano

" Confiar em alguém é saber guardar bem um segredo."
Joana 4º ano

"Confiar é acreditar que até voar podemos."
Leandro 4º ano

"Confiar em alguém é saber como a pessoa é para dar confiança."
Francisca 4º ano

"Confiar é acreditar nos outros, saber que podemos contar com eles para o bom e para o mau."
João Bernardo 3º ano

"Confiar é amar e ter fé nas pessoas."
Miguel Dinis 3º ano

"Confiar é ter amizade, fé amor e carinho por todos os que fazem parte da nossa vida."
Luís 3º ano

"Confiar é acreditar e deixar ver o que vão fazer."
Martim 3º ano

Programa Educamedia/Aprender com o cinema - Tema Confiança


O QUE É?
O projeto "Aprender com o cinema" tem por base a projeção de diversos filmes durante o ano letivo, que foram selecionados segundo dois critérios: o conteúdo temático a ser desenvolvido na sala de aula e a idade do aluno.
Para cada um dos filmes a projetar, foi elaborado um guia didático que poderá ser utilizado pelos professores para desenvolver um trabalhotransdisciplinar que tem como ponto de partida a sétima arte, neste caso filmes do circuito comercial. Desta forma, o professor terá disponível diversas atividades que podem ser desenvolvidas em diversos momentos.
Antes da projeção, é essencial proporcionar ao aluno elementos chave que o ajudarão a compreender melhor o que vai ver, sem desvendar muito o desenrolar da história. Neste caso, atividades de investigação sobre os aspetos mais relevantes da película, como por exemplo, a análise da ficha técnica.
Por outro lado, o próprio visionamento numa sala de cinema, torna necessário que o professor dialogue com o aluno sobre o comportamento correto a adotar numa sala de cinema, como por exemplo: saber sentar-se, esperar o início da projeção, estar em silêncio para ouvir os diálogos, o uso dos alimentos e bebidas durante a projeção, a limpeza do seu lugar, etc.
Finalmente, através das atividades posteriores ao visionamento, pretende-se que em contexto de sala de aula, seja explorado o nível de compreensão do filme, a análise dos personagens, bem como desenvolvidas atividades relacionadas com as diferentes áreas do currículo.
Pretende também fazer a promoção de realizadores madeirenses.

Para melhor compreender este programa sigam o     link: http://educamedia.educatic.info/

Este período visualizámos o filme: "Como treinares o teu Dragão?" subordinado ao tema Confiança

Relatório da visita de estudo ao ginásio - 4º ano


Pequenos escritores nas cores de outono III

Bonita estação!

Num dia de chuva andavam os irmãos, Raquel e Ricardo a saltar nas poças de água. Quando deu um trovão eles foram a correr para casa. Penduraram os casacos e acenderam a lareira.
O Ricardo e a Raquel estavam assustados. Uns minutos depois a chuva passou, e eles foram para a rua com o seu cão Pantufa. Ele era meigo e brincalhão. O vento soprou com força e as folhas caíram. Levaram o cesto e começaram a apanhar as folhas.
 O Pantufa cheirou alguma coisa e eles foram atrás desse cheiro. O Pantufa encontrou um caçador a matar coelhos e perdizes. Era tempo da caça!
Chamaram o pai para caçar com eles. O Pantufa também foi, pois ele era um cão de caça.


Leonor Andrade 3º ano

Pequenos escritores nas cores de outono II

Se eu fosse uma árvore 

Se eu fosse uma árvore seria uma figueira e as pessoas colhiam os meus filhos, figos. 
Um dia, as minhas folhas ficaram coloridas e depois caíram. O vento passou e sussurrei para mim mesma:
- Achas que o vento te diz porque é que as folhas te caíram figueira?
Depois pensei bem e como o vento sabe tudo, eu perguntei-lhe:
-Vento, porque é que as folhas me caíram?
-Não sei figueira, é a primeira vez que passo por esta zona - disse o vento.
-Então fui perguntar às minhas amigas andorinhas, que disseram:
-Desculpa não sabemos, também temos que partir figueira, nós não gostamos desta altura do ano.
-Está bem, adeus! - disse-lhes.
Passou por lá uma nuvem que começou a deitar água para cima de mim e eu perguntei-lhe:
-Olha nuvem, sabes porque é que as minhas folhas caíram?
-Não figueira, desculpa, tenho de ir adeus. - disse a nuvem.
E eu perguntei-me a mim mesma:
-E agora, como é que vou saber porque é que as minhas folhas caíram?
-Só tinha uma opção perguntar à minha mãe.
-Mãe, porque é que as minhas folhas caíram? - questionei cheia de ansiedade.
-Filha, no outono é natural que as folhas caiam das árvores, elas estão a envelhecer. É a lei da vida, um processo natural e necessário.
-Muito obrigado mãe – respondi felicíssima. 
Então fui contar às minhas amigas e todas passaram a saber o que nos acontece no outono.


Francisca Menezes 4º ano

Pequenos escritores nas cores de outono I

As folhas de outono

Se eu fosse uma folha de outono seria alaranjada ou acastanhada. Na altura do outono, eu e as outras folhas libertávamo-nos dos galhos da mãe árvore. A sensação de liberdade, de esvoaçar por ares desconhecidos.
No momento em que ia desprender-me dos ramos estava muito assustada, assim como outra folha que estava ao meu lado.
- Olá! Não estejas com medo!
-Mas eu não quero abandonar os galhos da mãe árvore. -  disse a folha com receio.
Entretanto, soprou um vento forte que levou as folhas para longe da árvore.
- Uau! Que cores tão lindas que o outono tem! -disse a folha ao apreciar a vista enquanto era levada pelo vento.
-Pois é, estava na altura do outono chegar e das folhas caírem de todas as árvores. -disse a folha ao sobrevoarem os campos com tons de laranja, castanho e amarelo.
Assim que chegaram à planície formaram um tapete de folhas com a bela paleta de cores do outono.                                                                                                    
                                                                                                                            Carla Beatriz  4º ano

Sala das Estrelinhas - Somos o que comemos :)

A Sala das Estrelinhas trabalhou o tema alimentação de diversas maneiras: confecionaram uma sopa, construíram a roda dos alimentos, enfim, tantas atividades diferentes para que se aprenda, brincando :)
video


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Sala dos Amores Perfeitos: Brincar ao teatro de fantoches!

A Sala dos Amores Perfeitos trabalhou o tema da alimentação de diversas maneiras. O teatro de fantoches foi muito divertido!

domingo, 16 de novembro de 2014

Alunos do 3º ano visitam a Casa Colombo - Museu do Porto Santo

A Casa Colombo-Museu do Porto Santo pretende vir a constituir-se como estrutura sede de um conjunto referencial mais vasto, um museu polinuclear, na identificação da história do Porto Santo.

Uma terceira área expositiva evoca o afundamento, junto à costa norte da ilha do Porto Santo, do galeão Sloot ter Hooge, pertencente à Companhia das Índias Holandesas (V.O.C.), a caminho de Batávia, atual Jacarta, na Indonésia. Estas três áreas temáticas recordam a sucessão de três das maiores potências no comércio mundial: Portugal, Espanha e Holanda.

Afirma-se como espaço de reconhecimento da posição estratégica do Porto Santo no contexto da expansão portuguesa. Propõe ainda áreas dedicadas à presença de Cristóvão Colombo no arquipélago da Madeira e à sua importância na preparação das grandes viagens, até ao descobrimento da América. Cristóvão Colombo casara com a filha do primeiro Capitão Donatário do Porto Santo, Bartolomeu Perestrelo.”

http://www.museucolombo-portosanto.com/home.html
Aqui ficam algumas imagens da visita. Muito obrigada à Professora Rosa Oliveira! :)